PSICOTERAPIA INFANTOJUVENIL

O que é?

Ao longo do crescimento das crianças vão sendo adquiridas diversas competências nas áreas emocional, motora, social, cognitiva, educacional. A psicologia infantojuvenil estuda o funcionamento do ser humano desde a etapa pré-natal até à adolescência fazendo uso de objetivos, tarefas e de uma forte relação terapêutica.

Em concreto, a infância é uma fase muito estudada pela psicologia pois, nos primeiros anos de vida, observam-se infindáveis mudanças que acontecem com imensa rapidez e todos os que rodeiam a criança estão na expectativa para reconhecerem e vivenciarem as novas aquisições que farão parte integrante do desenvolvimento. É neste período que o individuo constrói a base da sua personalidade.

No período da adolescência, surge uma “metamorfose” que traz novidades e dúvidas que podem despertar muitas angústias, problemas de autoestima, inseguranças afetivas, dificuldades de socialização e tomadas de decisão (futuro escolar e profissional) e que podem resultar em hesitação e confusão no adolescente.

A psicoterapia é um facilitador da perceção daquilo que a criança ou adolescente está a vivenciar ao mesmo tempo que lhe fornece estratégias que promovam a sua saúde mental e o preenchimento das suas necessidades emocionais, no aqui e agora, sendo a sua eficácia bem suportada pela investigação. Porque crescer acompanhado é mais fácil.

Em que situações intervém?

  • Depressão infantil (tristeza, apatia, agressividade, isolamento, diminuição de autoestima)
  • Ansiedade (preocupações e responsabilidades excessivas, ansiedade de desempenho escolar ou social)
  • Problemas ligados ao controlo de impulsos (agressividade, impulsividade, consumo de substâncias, perturbações alimentares e na autoimagem)
  • Desenvolvimento sexual
  • Perturbações de sono
  • Luto e perda
  • Dificuldades de aprendizagem
  • Bullying e cyberbullying
  • Conflitos, mudanças e separações dos pais e/ou outros familiares significativos
  • 10º Dificuldade na regulação emocional (humor volátil e emocionalidade extrema)

Referências Bibliográficas

Linehan, M. M. (1997). Validation and psychotherapy. In A. C. Bohart, & L. S. Greenberg (Eds.), Empathy reconsidered. New directions in psychotherapy (pp. 353-392). Washington, DC: American Psychological Association.

Piaget, J. (1986). O nascimento da inteligência na criança (M. L. Lima, trad.). Lisboa: Publicações Don Quixote (obra original publicada em 1977).

Safran J. D., & Muran, J. C. (2000). Negotiating the therapeutic alliance: A relational treatment guide. New York: The Guilford Press.

Regra, Jaíde, A. G. (2000). Formas de trabalho na psicoterapia infantil: mudanças ocorridas e novas direções. Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, 2 (1), 79-101.

Protocolos Académicos Psinove

Faculdade de Psicologia Universidade de Lisboa
Universidade Europeia
Associação Nacional de Estudantes de Psicologia