Consulta de Arte Psicoterapia

"Antes de uma criança começar a falar, ela canta. Antes de escrever, ela desenha. No momento em que consegue ficar de pé, ela dança. A arte é fundamental para a expressão humana."
(Phylicia Rashad)

 

O que é?

A Arte-Terapia (desenvolvida maioritariamente com grupos) e a Arte-Psicoterapia (desenvolvida mais em contexto de terapia individual) propõem ao/à paciente que se expresse face a temas importantes utilizando diversos recursos/materiais artísticos consoante as potencialidades que estes têm do ponto de vista terapêutico.

Depois do momento de criação artística, o/a paciente é convidado/a a partilhar o que criou, os sentimentos que surgiram antes, durante e depois da criação e a associar aspectos da criação com eventos, memórias, padrões relacionais ou acontecimentos da sua vida. Poderá também associar sentimentos antigos, padrões de comportamento e tantas outras referências. A arte torna aqui visível e alcançável aquilo que normalmente é invisível em terapia: o mundo interno do paciente.

Além da arte ter um carácter, por um lado e para algumas pessoas, relaxante e apaziguador, ela produz muito mais do que isso. Em alguns momentos, ela pode intensificar emoções desagradáveis que já estavam presentes (para que possam ser depois melhor trabalhadas) e permite acelerar processos de expressão e regulação emocional, noutros momentos permite associações não óbvias entre conteúdos e acontecimentos por ser um caminho directo de acesso ao inconsciente, trazendo conteúdos para o consciente que precisam ser entendidos, percebidos e transformados.

 

"Tudo o que existe neste preciso momento, já foi em algum momento imaginado."
(Wayne Dyer)

O recurso à imaginação, ao simbolismo e às metáforas enriquece o processo e ajuda a ultrapassar resistências naturais a falar de acontecimentos ou emoções dolorosas, um dos factos pelos quais a Arte-Terapia/Psicoterapia é tão eficaz com perturbações de stress pós-traumático, por exemplo.

Muitas vezes os/as pacientes são convidados/as a experimentar e ensaiar movimentos que precisam fazer nas suas vidas através das criações artística, conferindo um carácter de segurança e confiança para que consigam fazê-lo nas situações da vida real.

Este tipo de terapia deve ser feito naturalmente por psicoterapeutas qualificados, que tenham conhecimento das potencialidades (simbólicas, comunicacionais, criativas e de concretização) e limitações dos mediadores artísticos que são variados e diversos, como os seguintes:

  • - Pintura
  • - Desenho
  • - Modelagem
  • - Escultura
  • - Colagens
  • - Drama e Jogos Dramáticos
  • - Marionetas
  • - Jogo de Areia
  • - Expressão Corporal
  • - Música
  • - Canto
  • - Técnicas Psico-corporais
  • - Poesia
  • - Escrita Livre Criativa
  • - Contos, entre outros

 

Para quem é dirigido?

A Arte-Psicoterapia é aconselhada para todas as faixas etárias e para todos os tipos de perturbação psicológica ou desafios emocionais que as pessoas estejam a sentir.

O ponto de onde partimos é o de que todas as pessoas têm a sua musicalidade interna, a capacidade de se mover, de dançar, de desenhar e pintar, de modelar e moldar mas muitas vezes são levados a acreditar que não são capazes de fazer uso do seu aparelho criativo porque aquilo que criam “não está perfeito”. O facto também de muitas destas actividades serem associadas por algumas pessoas ao meio escolar, pode trazer memórias de frustração e medo de falhar associadas às próprias dificuldades pessoais.

A arte na terapia não é utilizada pelo seu valor estético, mas pelo valor expressivo, simbólico, emocional e de ensaio do processo criativo, pelo potencial de mudança que permite quando o/a paciente se relaciona com aquilo que acabou de criar, pela possibilidade de ser livre e de poder fazer o que quiser com a criação no espaço psicoterapêutico, inclusive de a destruir ou transformar no que ele/a quiser. Não há certo ou errado na psicoterapia com arte, nem em nenhuma outra psicoterapia. Há sim a liberdade para se ser como se é, para se fazer como se é, para se estar como se é.

Assim, pacientes com quadros depressivos, ansiosos, perturbações de personalidade, perturbações de stress pós-traumático, perturbações alimentares, entre outras podem usufruir muito da arte-psicoterapia.

 

Como funciona?

Numa primeira sessão, será traçado um plano de acordo com os objectivos da pessoa e as dificuldades que ela apresenta. Seguem-se algumas sessões de avaliação onde a pessoa explora alguns materiais artísticos (pastéis secos, lápis de pastel de óleo, lápis de cor, marcadores de feltro, etc) e são abordadas áreas como as emoções, pensamentos e comportamentos, história de vida, objectivos terapêuticos, entre outros.

Mais uma vez reforçamos que não é mesmo necessário qualquer background artístico para iniciar um processo de arte-psicoterapia, sendo a expressão de cada pessoa única, particular e simbólica.

 

Algumas situações em que poderá ser mais vantajoso a utilização da Arte-Psicoterapia:

  • 1) Nas situações em que a pessoa tem dificuldade em falar sobre o que o/a perturba (tanto ao nível da comunicação em si, como da consciencialização do que sente). A criação artística permite uma primeira abordagem à expressão das temáticas a trabalhar;
  • 2) Quando os temas a trabalhar se ligam com fases precoces do desenvolvimento (ex: traumas precoces, situações precoces de abandono, perdas ou outros acontecimentos, especialmente se tiverem ocorrido antes da aquisição da linguagem). A Arte-Psicoterapia pela sua natureza sensorial propicia o ambiente regressivo que permite aceder e transformar essas experiências;
  • 3) Quando a situação a trabalhar é tão traumática que há uma grande intensidade emocional. A criação artística permite uma ligação ao que aconteceu sem se falar sobre o assunto, possibilitando uma espécie de distância de segurança para abordar o assunto;
  • 4) Esta abordagem é também muito útil para ensaiar movimentos que a pessoa precisa de realizar na sua vida. Através da criação, abre-se um espaço onde se podem ensaiar directamente mudanças até que possam ser implementadas no dia-a-dia. A arte-psicoterapia permite ensaiar situações, enredos, finais alternativos que possam trazer clareza e novas perspectivas sobre os problemas apresentados;
  • 5) A Arte-Psicoterapia trabalha essencialmente as dinâmicas criativas na vida, a inteligência criativa para resolver os desafios da vida a cada momento. Permite treinar o olhar para as situações e conseguir manejá-las de forma mais criativa, eficiente na persecução dos objectivos ou na gestão dos recursos disponíveis, por exemplo;
  • 6) Fazer um processo de auto-conhecimento através da Arte-Psicoterapia permite aceder e enriquecer ao nosso manancial simbólico e arquetípico, como se se tivesse acesso a uma nova linguagem na relação consigo mesmo e com os outros (através da expressão pelas cores, símbolos,gestos, materiais). Todo este processo permite uma amplificação da liberdade de expressão, que pode ser fundamental ao processo de mudança e auto-conhecimento.
 

Protocolos Académicos Psinove

Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa
Associação Nacional de Estudantes de Psicologia
Instituto Universitário Ciências Psicológicas, Sociais e da Vida
Este site usa cookies para recolher estatísticas e melhorar a sua experiência. Ao continuar a navegar estará a aceitar a sua utilização. Saiba mais aqui